Eleições Imediatas - Sim Intervenção Federal

 
Quando eu postava esse texto, soube que o PaulOOctávio, o PO, virou Pó!!! Eu já sabia!!! O vice sempre dura menos, risos!! Muita luta ainda pela frente... fora Wilson Lima e demais comparsas da Câmara Legislativa! Fora Noroesteeeee, Fora Roriz!!!!



Intervenção Federal para Eleições Antecipadas
por Diogo Ramalho*

Desde quando veio a público a existência de uma máfia instalada na administração do Distrito Federal, em 27 de Novembro de 2009, sempre que escutava falar em intervenção federal me posicionava premonitoriamente contrário, minha avaliação era instantânea guiada pelo entendimento de que um governo que também praticou o mensalão não tem integridade moral alguma para intervir em outro governo mensaleiro. 

Porém com o tempo, constatando que esse é o único caminho para antecipar-se as eleições e entendendo melhor  como se dá a intervenção, o prazo curto que ela têm que durar e etc, me convenci plenamente pela alternativa da intervenção como único caminho para que a corrupção deixe de vencer e a vontade popular que clama pelo fim da impunidade vença.

O fator mais forte que me faz crer na intervenção como único caminho viável no momento se ampara também no fato de termos hoje no Distrito Federal todos os 3 poderes (Executivo, Legislativo e Judiciário) envolvidos na infinita caixa de pandora e seu males, guardados e soltos a conta-gotas. Um poder tem de investigar o outro e todos os três estão contaminados. Até o chamado quarto poder, a mídia, foi flagrada na cinemateca do Durval recebendo o mensalão.

A Câmara Legislativa em especial, tem dos seus 24 parlamentares, 8 deputados/as e 2  suplentes flagrados nos vídeos e autos da operação caixa de pandora. 16 parlamentares são fiéis aliados e mensaleiros da base do governo de Arruda e Paulo Octávio.

Os parlamentares receberam 470mil cada um para aprovarem o PDOT ( plano diretor de ordenamento territorial ) responsável pela destruição do cerrado em diversos pontos e em especial no setor NOROESTE, da construtora PaulOOctávio, ao lado do Parque Nacional e dentro de uma reserva indígena habitada há 50 anos por etnias indigenas e único ponto na capital do País onde ainda habita Índios, para construção de moradia de alto padrão (16mil reais o metro quadrado); além da corrupção geral da terra orquestrada no PDOT refletido no maior lucro da história da TERRACAP - (R$ 839,57 milhões em 2009, contra R$ 261,1 milhões de 2007 e R$ 369 milhões em 2008. Do total arrecadado pela Terracap até junho deste ano, R$ 675,5 são resultados das vendas no Setor Noroeste, realizadas em janeiro e março)

O Legislativo do Distrito Federal é citado em diversas pesquisas divulgadas por revistas semanais e jornais nos últimos anos como o parlamento legislativo mais corrupto do país e está envolvido até quase a tampa nessa grande Família, conhecida no dicionário como Máfia. 

O Judiciário por sua vez, teve o Procurador Geral do Ministério Público do Distrito Federal e alguns desembargadores citados em gravações e autos do inquérito 650.

Precisamos da Intervenção Federal para termos um governo pró-tempore que prepare o básico e traga a tona o máximo de informações, e o principal, termos eleições antecipadas, única solução para resolver-se o furto que sofreu a população do Distrito Federla ao eleger enganadamente os e as  parlamentares, governador e vice, que continuaram o quadrilhismo usando o dinheiro público. Quadrilhismo este onde foi criado politicamente Arruda, que iniciou sua carreira sendo Secretário de Obras do Roriz em 1993, Joaquim Roriz, o Poderoso Chefão da Quadrilha brasiliense, Coronel senhor Feudal do Distrito Federal, que armou toda a cinemateca com Durval, seu fiel escudeiro, ex-delegado da polícia civil, presidente da CODEPLAN nos últimos 8 anos de Governo Roriz, mantido por Arruda em lugar mais estratégico, a Secretária Institucional do GDF, porém com menos recursos que os 500 milhões da CODEPLAN nos tempos de Roriz, que Arruda facilmente diminuiu para 200 milhões, sobravam 300. Durval incomodou-se muito em ser retirado da CODEPLAN. 
]
E assim como Arruda, Paulo Octávio e CODEPLAN, na UnB tivemos Timoty, Mamia e FINATEC e vivenciamos a intervenção federal para termos novas eleições antecipadas e uma promessa de mudança nos rumos da Universidade de Brasília. A oligarquia Timoti que comandava o orçamento da UnB ha duas décadas, mergulhada em um mar de corrupção, foi derrubada pela força popular d@s seus estudantes, técnicos e professores, e sociedade brasileira. O Reitor como Arruda disse que não sairia, o Vice-Reitor como o PO também tentou resistir, até entender que ou sairia, ou não haveria ordem, como no atual momento, e teve de sair virando pó. Logo em seguida a comunidade da UnB conseguiu através do poder popular a paridade nas eleições para os três segmentos, professores, estudantes e técnicos-administrativos puderam vivenciar depois de décadas  de eleições no formato minoria detendo 70% versus maioria detendo apenas 30% de peso no voto, eleições paritárias, sonho  então utópico com o feudo Timoti no poder.

Essa comunidade da UnB serve também como paralelo para refletir-se como um micro-cosmo da comunidade do Distrito Federal, o caminho já vivenciado se faz presente agora na reflexão de qual caminho tomar para mudar-se os rumos do DF. A comunidade UnB diante da retirada de todo um governo universitário corrupto, elegeu um interventor pró-tempore, que organizou basicamente a casa e com eleições paritárias a UnB venceu o Feudalismo Timotista e conseguiu democraticamente eleger outra alternativa que se dizia diferente na época, em governança há mais de 1 ano e ainda precisando mostrar o diferencial do antigo e cumprir as tantas promessas, como a promessa da tal Gestão Compartilhada que até hoje não passou de mote de campanha e o Congresso Estatuinte Paritário, esquecidos pelo Rei mas não pelos que o elegeram.
Todo o terrorismo que vêm sendo feito quanto a intervenção federal pelos meios de comunicações do Arruda, Paulo Octávio e Tda a Máfia, são para que as coisas mudem de nomes esteticamente, sem necessariamente mudarem nada. Estamos falando de um orçamento manejável de 21 bilhões de reais, segundo maior orçamento de um governo brasileiro per - capita, único estado que o DEM comanda junto com a rica prefeitura de São Paulo, os ovos de ouro podres por dentro.

Por essas e outras, minha bandeira pessoal de luta é Intervenção Federal para haver eleições imediatas no Distrito Federal.

Abraços de luta,
*Diogo Raimundo Ramalho - estudante de Letras Espanhol da Universidade de Brasília.

2 comentários:

Nath disse...

Até ler esse texto tinha um certo receio da Intervenção Federal. Mas como se trata de P.O, ficava imaginando que qualquer coisa pra ele cair seria válida!

Bem argumentado o texto! A luta continua, sempre!

Lua disse...

Bom texto.COmo a Nath ali em cima disse. (Beijo, Nath)

Mas vai dizer que voce disse isso mesmo do P.O!
hahahaha Vc tinha falado que ele seria o mais difícil, velho. rs. e falou que eu era inocente em acreditar que ele ia renunciar rapidão.

POis é, pois é, pois é!

Postar um comentário